quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Eis a questão!

Tempos de poupanças, passam a tempos difícieis.

Como a minha avó diz: Tudo se cria!

Será assim?

Uma vontade enorme me ocupa os pensamentos. Uma alegria imensa me preenche. Um medo me amedronta. Um futuro ocupa um lugar inseguro.

Serei ou não serei?

Quero ter um lugar junto de todas as mães, partilhar todas as minhas aventuras, as minhas paixões, os meus momentos e sobretudo o crescimento de um novo ser.
É uma decisão difícil.
Não me assusta a minha posição de mãe e a posição de filho, assusta-me a instabilidade que todo o nosso país se tornou.
Sei que enquanto o meu rebento estiver junto de mim, junto das minhas poses eu protegerei, mas e depois? O futuro dele? Irá para o estrangeiro? Longe de mim? Um ser que tanto amo?
O R. diz que eu serei uma "chata". Serei como se diz "MÃE GALINHA".

Não quero ter que pensar muito em relação a orçamentos e crises, porque ai não concretizarei o meu desejo e não darei lugar a um novo ser.

As gémeas, sem dúvida que me preenchem a vida, me enchem de alegria, me iluminam os dias mais escuros. Elas serão felizes com um irmão, irão saber dividir este amor. Irão ensiná-lo, todas as coisas que já lhes transmiti.
O meu desejo, que se torna um tormento para mim hoje é acordar e saber que o meu ser está junto de mim. As gémeas deixam-me saudades. Acordo e sei que elas não estão para me dar os Bons Dias em coro. As noites mais tranquilas são quando as adormeço e lhes dou protecção e lhes digo o quanto as amo.

Sinto a necessidade de ter um momento de partilha com o meu ser, dar e receber.

Fui a um batizado de um casal muito amigo, muito especial para nós, confesso que eles enquanto família são especiais. O senhor padre disse algo que nunca mais me saíra da cabeça. "O Amor é amar e sentir-se Amado".

Tenho tantos planos.
O R. diz não querer pensar em muito, tem uma vontade imensa de voltar a ser pai.
As gémeas ficam radiantes, dizendo que não mudam as fraldas, mas dão as refeições, alternando uma com a outra.
E eu?


Eis a questão.

Sem comentários:

Publicar um comentário